Brasil é o 3º país em que pessoas passam mais tempo em aplicativos

As pessoas passaram 3 horas e 40 minutos, em média, utilizando aplicativos (também conhecidos como apps) em 2019. O índice é 35% maior do que em 2017. As informações são do principal relatório sobre o tema no mundo, da consultoria App Annie. A edição de 2020 foi divulgada na última quarta (15).
O Brasil ficou na terceira colocação no ranking dos países em termos de tempo gasto em apps, levemente acima da média, com 3 horas e 45 minutos, e foi superado pela China, onde as pessoas mexem com esses programas durante quase 4 horas, e a Indonésia, onde o tempo diário chegou a 4 horas e 40 minutos. Em seguida, vêm a Coreia do Sul (3h40) e Índia (3h30).
Na comparação entre 2019 e 2017, a China obteve a maior ampliação (60%), seguida pela Índia, o Canadá e a França (25%), a Indonésia (20%) e o Brasil, a Alemanha, Coreia do Sul, o Japão e Reino Unido (15%).
No recorte por idade, a chamada geração Z (nascida entre 1997 e 2012) passou 3 horas e 46 minutos por app por mês e teve 150 sessões por mês nos principais aplicativos.
O download anual de aplicativos cresceu 45% nos últimos três anos: saiu de 140 bilhões em 2016 para chegar a quase 204 bilhões em 2019. No Brasil, esse aumento foi de 40%, atingindo cerca de 5 bi no ano passado. Entre as nações, o maior aumento no período foi da Índia: 190%.

Compras
O País seguiu na terceira colocação também no ranking do crescimento em tempo gasto em apps de compras, atrás da Índia e Indonésia. Entre 2018 e 2019, os brasileiros ampliaram em 32% a sua presença nesse tipo de ferramenta. Os apps mais baixados com essa finalidade foram Mercadolivre, Americanas, Magazine Luiza, AliExpress e Wish.
A colocação foi mantida também no caso dos apps de entrega de comida. O número de sessões nesse tipo de ferramenta entre os usuários daqui foi de 8 bilhões, ficando atrás dos Estados Unidos (10 bi) e da Indonésia (20 bi). (Editado com informações da Agência Brasil)


Governo analisa medida para baixar preço do combustível

O presidente Jair Bolsonaro está discutindo a possibilidade de revogação de norma da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) que proíbe a venda direta de combustíveis aos postos.
O presidente está se reunindo com o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, para tratar desse assunto, entre outros. Bolsonaro defende que seja autorizada a venda direta de etanol das usinas para os postos de combustíveis e também de outros derivados do petróleo. Segundo ele, isso poderia reduzir em cerca de 20 centavos o valor do litro do combustível.
“Não é apenas a venda direta de etanol para o posto de combustível, é de outros derivados também. Nós importamos óleo diesel, gasolina, por que não do porto ir diretamente para o posto de gasolina? Por que tem que viajar centenas de quilômetros?”, questionou.
Atualmente, a norma da ANP estabelece que todo combustível deve passar por empresa distribuidora antes de chegar às bombas dos postos.
Bolsonaro também disse que está em contato com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, para tratar da revogação dessas normas. “Conversando com Rodrigo Maia, muitas vezes não depende da decisão [da ANP], depende de revogar decisão e o Congresso tem poder para revogar essas decisões”, disse.
Ao falar sobre o trabalho das agências reguladoras, o presidente destacou que elas “são importantes, autônomas, mas não são soberanas”.

Lei

Um projeto de lei que libera a venda direta está tramitando na Câmara dos Deputados e já foi aprovado pela Comissão de Minas e Energia no fim de 2019. (Editado com informações de Agência Brasil)


Mega-Sena

Prêmio acumula e deve pagar R$ 27 mi no sábado

Nenhum apostador acertou os seis números do concurso nº 2.224 da Mega-Sena desta quarta-feira (15). Foram sorteados os números 16, 23, 32, 50, 52, 58. Segundo estimativa da Caixa, o concurso de sábado (18) deverá pagar R$ 27 milhões. A quina teve 28 apostas vencedoras e cada uma vai receber um prêmio de R$ 78.328,49. A quadra saiu para 2.283 apostadores, que receberão prêmio de R$ 1.372,37. A aposta mínima na Mega-Sena custa R$ 4,50. Nesse caso, a chance de acerto (probabilidade estatística) é de uma em mais de 50 milhões.


 

Deixe seu comentário:

Notícias relacionadas

Guarujá cria plano estratégico para possíveis suspeitas do coronavírus

  Da Redação A chegada de um navio de bandeira chinesa (Hong Kong), o Kota Pemimpin, ao Porto de Santos, deixou a sociedade apreensiva sobre a possibilidade de entrada do vírus Covid-19 no País. Especialmente pelo fato de que foi informado que dois tripulantes apresentaram febre durante a viagem. O navio chegou à Barra de Leia mais

Coronavírus: aumento de mortes e casos. O que mudou?

Entre quarta e quinta-feira desta semana, foram registradas 242 vítimas mortais na província chinesa de Hubei, epicentro do novo coronavírus, considerada as 24 horas mais mortíferas desde o início do surto. O motivo da subida vertiginosa no número de casos diagnosticados, com registro de mais 14.840 pessoas infectadas foi explicada pelas mudanças de metodologia na Leia mais

Alta do dólar é consequência de juros baixos, diz Guedes

Da Redação O ministro da Economia, Paulo Guedes, comentou nesta semana sobre a valorização do dólar, que superou R$ 4,35 nesta quarta (12) e voltou a bater recorde. Guedes esclareceu que esse aumento decorre da combinação de juros baixos e contenção do gasto público, e que é consequência do novo modelo econômico que o Governo Leia mais

Guarujá não tem casos suspeitos da doença respiratória

A cidade de Guarujá, que abriga a margem esquerda do Porto de Santos também está em alerta para qualquer emergência, mas ressalta que não há, nem houve, qualquer caso de coronavirús em suspeita na cidade. A informação que circula pelas redes sociais é falsa e pede aos cidadãos que não se compartilhe a ‘fake news’. Leia mais