Sabesp culpa estiagem para falta de água em diversos bairros de Guarujá

Uma semana após a reunião entre a Prefeitura de Guarujá e o secretário de Estado do Desenvolvimento Regional Marco Vinholi, no Palácio dos Bandeirantes, para tratar sobre os problemas de desabastecimento de água em diversos bairros de Guarujá, a situação segue sem alteração. As torneiras continuam secas, até quatro dias da semana, em bairros como Jd. Boa Esperança e Parque Enseada, por exemplo.

O prefeito de Guarujá, Válter Suman, cobrou na última semana (24/7) da Sabesp, providências para o reabastecimento e a agilização do processo de aquisição da chamada Cava da Pedreira, que seria transformada num mega reservatório de água pela companhia com capacidade para armazenar até 3 bilhões de litros de água.

O que diminuiria as chances de desabastecimento na Cidade em períodos de estiagem como ocorre atualmente. Segundo a Sabesp o problema é causado pela estiagem, apontada por eles como “a maior dos últimos 20 anos”. Em decorrência, a água captada dos rios Jurubatuba e Jurubatuba Mirim teve redução na capacidade de captação de água de 2 mil litros por segundo para 840 litros por segundo. Nem mesmo a integração com o Sistema Cubatão, que abastece Santos e São Vicente, foi capaz de resolver o déficit em Guarujá, conforme a Sabesp.

Medidas urgentes
Sem uma solução a curto prazo e à mercê das condições meteorológicas, a população de Guarujá segue aguardando o cumprimento de antigas promessas, como a Cava da Pedreira. Já o governo Suman exigiu medidas paliativas urgentes da companhia, que tem o Governo do Estado como maior acionista.

A distribuição gratuita de caixas d’água para a população de baixa renda é uma dessas medidas, pois as moradias que não possuem sistema de reservação são as primeiras a sofrer com a falta d’água.
Outra exigência foi o aumento do número de caminhões pipa.

“A população de Guarujá paga suas contas de água e mesmo assim está sendo duramente penalizada. Acabou a tolerância, água é um direito de todos e a Sabesp tem obrigações contratuais a cumprir, não se trata de favor ou ajuda. Até lá, há de buscar alternativas objetivas, viáveis e urgentes”, afirmou Suman.

Modernização
Para o prefeito, já passou da hora de a companhia buscar soluções como a modernização de seu sistema de reservação e até mesmo alternativas para o abastecimento de água em Guarujá, com a busca de outros mananciais. Ele salientou que quando da assinatura do contrato com a Sabesp, há pouco mais de um ano, a promessa era viabilização imediata da Cava da Pedreira, o que não ocorreu.

“Já passou tempo demais e não tivemos solução até agora. Demos a segurança jurídica que a empresa queria para realizar os investimentos na Cidade e exigimos a contrapartida mínima, que é a correta prestação de serviços”, disse Suman, que ouviu de Vinholi que o tema será discutido com o governador João Dória com a maior celeridade possível e providências serão tomadas.

Multas e autuações
Em razão dos problemas de desabastecimento, a Prefeitura de Guarujá multou a Sabesp tanto via Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semam) quanto via Diretoria de Vigilância em Saúde nos últimos meses. Além disso, já foram feitas 30 autuações pelo Procon só nos últimos 15 dias.


Ministério Público

As falhas no atendimento da Sabesp em Guarujá são alvo de investigação em Inquérito Civil do Ministério Público, que leva em conta relatório elaborado pela Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp), que aponta más condições nos reservatórios da empresa na Cidade e a diminuição de mais de 30% na oferta de água entre os anos de 2018 e 2019. (Com informações da Comunicação PMG)

Deixe seu comentário:

Notícias relacionadas

Guarujá terá 900 novas moradias para famílias em áreas de risco

O prefeito de Guarujá, Válter Suman e o presidente da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) do Estado de São Paulo, Reinaldo Iapequino, assinaram nesta quarta-feira (23), na sede do órgão, convênio que vai garantir o desenvolvimento de um novo empreendimento habitacional que propiciará a construção de 900 moradias para famílias que vivem em Leia mais

Obras de recuperação de encostas nos morros recebem mais R$ 17 milhões

União autorizou repasse de mais R$ 17,2 milhões ao Município; montante soma-se aos R$3,2 milhões, já autorizados em abril. Recursos serão aplicados em serviços de limpeza e remoção de resíduos De Guarujá O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), através da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, acaba de autorizar o repasse de R$ 17,2 Leia mais