Editorial – Parabéns, e avante

Obter um relatório positivo do Tribunal de Contas do Estado (TCE) é um claro indicativo de que o trabalho de gestão pública vem sendo bem realizado. Receber o parecer positivo em referência ao primeiro ano de gestão municipal é ainda mais valioso para a nova equipe por indicar a competência e, por outro lado, aumenta o nível de exigência para os próximos anos.
E a gestão Suman acabou de elevar o nível. O TCE divulgou nesta terça seu parecer favorável à aprovação das contas de 2017 da Prefeitura Municipal de Guarujá, primeiro ano da gestão Válter Suman (PSB). E o que não faltou foi comemoração.
O prefeito destacou o fator equipe unida em busca da meta e a superação do trabalho técnico realizado com o orçamento do governo anterior, mesmo com as pendências que foram encontradas ao longo do caminho.
Ainda mais positivo foi Suman reconhecer que “Temos muito a fazer, ainda”. Após o ‘parabéns a todos’, hora de voltar à labuta. O ‘Avante’ foi aposentado e entrou em cena ‘o trabalho é a melhor resposta’. Que assim continue!

 

Bolsonaro
Presidente Jair Bolsonaro escolheu novamente o Guarujá para tirar uns dias de descanso. No último dia 15, Dia da Proclamação da República, o helicóptero do presidente pousou na Base Aérea de Santos, onde foi recebido pelo prefeito Valter Suman.

Diversificar
O presidente escolheu novamente Guarujá porque ficará hospedado dentro de uma unidade militar, o Forte dos Andradas, por questões óbvias, de segurança. “É pra sair um pouco da rotina de Brasília. Apesar de estar muito bem acomodado no Alvorada, mas variar, diversificar um pouquinho o ambiente é muito bom. Daqui a pouco deve ter um churrasquinho, coisa rara ter um churrasquinho com os amigos”, comentou Bolsonaro na chegada.

Em casa
Aqui ele se sente em ‘casa’. Além de churrasquinho, o presidente ainda desfrutou da acolhida de moradores de Vicente de Carvalho, o carinho da torcida do Santos F C, onde foi assistir a partida entre Santos e São Paulo, e até mesmo o transtorno no trânsito causado pela comitiva que o acompanhava em segurança foi recebido com carinho pelos moradores. Tem tudo pra voltar aqui.

Pró-Vida
Moradores vizinhos à Unidade de Saúde Dr. Janduí garantem que viram uma viatura da Sabesp cortando a água do prédio. No local, ninguém confirma a ação, mas uma fonte garante que a Pró-Vida estava ciente do corte há tempos, pois há contas em atraso… no plural.

Segurança
O prefeito Suman e o secretário municipal de Segurança Venâncio, comemoraram o aumento nas diárias pagas aos policiais que fazem parte da Operação Delegada em Guarujá. Em maio deste ano, lembra Suman, a cidade já havia renovado o convênio com a Polícia Militar para continuar contando com o programa.

Segurança II
A iniciativa permite que os policiais em horário de folga atuem de farda e com equipamentos da corporação. A diária recebida pelos agentes é custeada pela Prefeitura, e tem o intuito de trazer mais segurança, aumentar as ações de fiscalização e auxiliar ainda mais na proteção de nossos munícipes.

Ambiente
Boas notícias em breve para Guarujá. Em encontro com o secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo, Marcos Penido, o prefeito Suman discutiu a necessidade de avançar a aprovação de licenças ambientais para obras no Município.

 

Nossa história e a consciência negra

Durante muito tempo, comemorou-se o 13 de maio como data maior para os afrodescendentes no Brasil, pois foi nesse dia, em 1888, que a princesa Isabel pôs fim à escravidão.
Acabou com a escravidão, mas não com os negros brasileiros. Por que afirmo isso? Porque sempre nos foi ensinado que os imigrantes europeus vieram para o Brasil substituir a mão de obra escrava africana.
Por que substituir? Os negros foram mortos? Expulsos do Brasil? Não. O problema é que o estado brasileiro subsidiava a vinda de europeus, mas não a introdução dos negros no mercado de trabalho.
Nesse período, segunda metade do século XIX, havia uma teoria antropológica que tentava explicar o subdesenvolvimento com base na mistura de raças.
Ou seja, o Brasil era subdesenvolvido porque sua população era resultado da miscigenação de três raças: o nativo (índio), o branco (europeu) e o negro (africano).
A teoria sustentava que só nos tornaríamos uma grande potência quando a raça branca se tornasse única em nossa sociedade. E que isso ocorreria quando não houvesse a miscigenação.
A eugenia, teoria que busca produzir uma seleção nas coletividades humanas com base em leis genéticas, influenciou muitas pessoas no Brasil, principalmente as que tinham o poder político.
Em razão disso, os imigrantes europeus receberam do estado brasileiro mais apoio do que os escravos libertados. Na realidade, o que se pretendia na época era ‘branquear’ a sociedade brasileira.
Essa discussão é levantada hoje exatamente pela existência do dia 20 de novembro, data da morte de um dos líderes do quilombo de Palmares, maior exemplo da resistência do negro à escravidão.
O Dia da Consciência Negra é importante para compreendermos o presente, aprendendo com o passado e melhorando o futuro. Salve essa data fundamental para o entendimento de nossa história.

Zoel é professor, formado em sociologia e presidente do Sindserv (sindicato dos servidores municipais) Guarujá

 

Exmo. Sr. Válter Suman
Dd prefeito de Guarujá

Dentre as obrigações da prefeitura está a obrigação de garantir aos munícipes e visitantes o bem estar enquanto cidadãos e contribuintes, diretos ou indiretos, dos tributos arrecadados.
Nada contra a instalação da ciclofaixa, salvo no que traz de transtorno para quem ficou sem acesso e/ou parada de veículos no prédio onde reside, como é o caso do Sobre as Ondas, na Pitangueiras.
Temos entrada para veículos no prédio para carga e descarga, mas estamos impedidos de usar por falta da sinalização, que cumpre à prefeitura instalar.
Entendendo ser legítimo esse direito de acesso ao prédio para carga e descarga, similarmente ao que possuem outros prédios da cidade com ou sem ciclofaixa, serve esta para apelar mais uma vez ao espírito de justiça e de bom senso do exmo. Sr. Prefeito para que determine de imediato a competente sinalização e instalação de “placas de carga descarga” nos dois sentidos da ciclofaixa, afastando o risco de novos acidentes com vítimas e garantindo o acesso e bem-estar dos moradores do prédio, conforme já exaustivamente exposto aos auxiliares da prefeitura.

No aguardo, saudações – Edificio Sobre as Ondas – Manuel Martins – morador

 

Não vamos ter a participação do governo na criação do partido para evitar interpretação equivocada de que estou usando a máquina pública para formar um partido.

Jair Messias Bolsonaro – Presidente da República

 

Deixe seu comentário:

Notícias relacionadas

Opinião Nos vemos na internet

Nos vemos na internet Informamos aos nossos leitores e parceiros comerciais que, em consequência da pandemia covid-19, iremos suspender, temporariamente, a impressão e distribuição física da nossa edição semanal do jornal A Estância de Guarujá. Isso NÃO significa que o jornal A Estância encerrou suas atividades. Muito pelo contrário. Continuamos firmes e atuantes nas redes Leia mais

Opinião – Deflagrada a terceira Guerra Mundial?

Deflagrada a terceira Guerra Mundial? A peste, chamada em nossa era de Covid-19, está em guerra contra os seres humanos e tem fome de quem não leva a sério as recomendações de prevenção, levando à morte os entes queridos de quem deixa a porta aberta a um ataque aos mais vulneráveis. Apesar da semelhança, não Leia mais

Opinião As muitas prioridades de uma cidade

As muitas prioridades de uma cidade A polêmica da semana sobre uma possível atuação do Exército Brasileiro nos dois primeiros dias da tragédia em dois morros de Guarujá, causada pelas chuvas intensas da semana passada, tem sido bastante explorada pelos diversos grupos políticos da cidade. Para alguns, seria possível salvar mais pessoas se a atuação Leia mais

Opinião – Edição 5424

Mais uma tragédia anunciada Uma lição que custa a ser aprendida pelas autoridades, ainda que seja conhecida por todos os governantes em todas as esferas de poder público. Habitações em áreas de risco não podem ser toleradas, mas elas ainda proliferam. E em muitos casos, contam com o olhar míope dos governos para se alastrar. Leia mais