Opinião – Continuamos indefesos

O assunto de Segurança Pública sempre ganha destaque quando um crime acontece e mexe com a sociedade. Na última semana, a morte de uma jovem mãe, empresária, e pessoa querida na cidade chocou pela frieza e brutalidade do ato.

Mais do que isso, o crime ocorreu em um bairro ‘tranquilo”, em plena luz do dia, e nos lembrou o quanto as pessoas boas estão indefesas. Mais um caso da violência que entrará para as estatísticas, infelizmente.

Para a sociedade em geral, o ato é retrato de uma realidade presente na história de muitas famílias. Segurança Pública é um assunto difícil para os governos, mas não faz parte do compromisso real de nossos governantes e políticos em buscar ações que mudem esse quadro.

A se levar em consideração o histórico da violência na cidade em anos de eleição, é bem provável que o fato seja usado contra o governo, no entanto, a segurança pública na cidade ampliou o debate e ações e vem melhorando seus índices nos últimos anos.

Queremos crer que a solução para a violência virá da união de esforços dos poderes constituídos e da participação da sociedade civil. Por isso, defendemos que melhorar o debate das questões que afligem nossa gente é papel de todos.

Enquanto isso, continuamos indefesos.

 

Vamos invadir a sua praia

Surpreendeu a adesão de assinaturas colhidas durante ação do partido Aliança pelo Brasil, realizada em Vicente de Carvalho, no último final de semana. Com meta de conquistar 90 assinaturas, a ação ganhou prestígio ao somar 200, e será reprisada neste domingo. A se confirmar a simpatia dos cidadãos com o novo partido do presidente, teremos uma presença significativa de candidatos do partido na cidade. Para alegria dos “bolsominions” e de todos que acreditam em uma política mais transparente e justa. A democracia é maravilhosa, não é mesmo?

Prevenção

Damaris não venha a Guarujá! O alerta à Ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos é para que não se espante com as ações da Semana Nacional de Prevenção de Gravidez na Adolescência, que promove palestras onde reforçam às pacientes informações sobre gravidez na adolescência, formas de prevenção e planejamento familiar.

Retorno

As sessões na Câmara de Guarujá iniciaram o ano legislativo, último do mandato atual, na última terça-feira (04). A julgar pelo tom das discussões, a atuação dos vereadores, que iniciaram a sessão com apenas uma falta, manteve-se em temperatura morna.

#2020

Em ano eleitoral, tal calmaria é prenúncio de intensa movimentação política nos bastidores. Quem viver, verá.

Parabéns

Passou rápido, e a City Transporte já pode comemorar 1 ano de atuação na cidade. Os usuários do transporte público da cidade já podem se orgulhar das melhorias realizadas até então e ainda assim, continuar a exigir melhores serviços. Como a instalação de mais pontos de ônibus com cobertura, como na avenida Adhemar de Barros.

Social

A Prefeitura de Guarujá participou na última sexta-feira (31), do Fórum sobre Atendimento à População em Situação de Rua da Baixada Santista, promovido pela Defensoria Pública de Guarujá na sede da unidade no jardim Helena Maria. O objetivo foi discutir a política pública de atendimento à população em situação de rua.

Propostas

O fórum reuniu autoridades, representantes do poder público e da sociedade civil da Região, e contou com participação de 70 pessoas. Dentre as principais propostas estão o fomento à adesão a Política Nacional da População em situação de rua, capacitação dos profissionais do serviço público, criação de uma comissão para a população de rua, entre outras ações. O próximo encontro está marcado para o dia 24 de abril.

Incentivo

Pela primeira vez a Cidade conseguiu habilitar projetos nos moldes do Programa Municipal de Incentivo Fiscal de Apoio ao Esporte (Promifae), lançado nesta quarta-feira (5), com o objetivo de fomentar a captação de recursos privados para o financiamento de iniciativas esportivas.

Projetos

Ao todo, 25 projetos foram aprovados para execução, dos quais 13 já obtiveram patrocínio. O programa vai beneficiar cerca de 700 crianças, jovens e adultos.

Modalidades

Os 25 projetos abrangem modalidades como vôlei, surf, futebol, judô, beach tennis, entre outras. Os projetos podem ser patrocinados por pessoas físicas ou empresas, que podem destinar até 20% do IPTU ou 40% do ISS pago anualmente ao Município.

Visibilidade

A pessoa ou empresa que assumir os patrocínios poderá abater o valor do incentivo dos impostos devidos a partir de 2021. Além disso, poderá exibir sua marca em uniformes e materiais de promoção usados durante as competições pelas entidades que forem adotadas.

Como proceder

Os interessados devem ligar ou se dirigir às próprias instituições para obter as informações necessárias para o patrocínio do projeto. A pessoa receberá um Certificado de Incentivo Fiscal (CIF), assinado pelo secretário de Finanças do Município, como comprovante da doação. É este documento que garantirá o desconto nos impostos em 2021.

 

A Educação opera milagres

*Wilson Galvão

Quando você tiver a oportunidade de visitar a Coreia do Sul, talvez passe a concordar com essa afirmação. Na verdade, os próprios coreanos admitem o milagre que tirou seu país da ruína após as guerras ocorridas até meados do século passado, tornando-o esta nação rica e próspera da atualidade. A conquista é resultado do esforço e da paixão do povo pela Educação do país, que hoje figura entre as principais economias do mundo e entre os países com os melhores índices de educação no ranking do PISA (atualmente, a Coreia do Sul figura em segundo lugar na lista em que Brasil ocupa 39ª posição).

Não é difícil entender esse resultado, mas também não é fácil conquistá-lo. Visitando as escolas, academias de pesquisa, institutos, órgãos governamentais, museus, etc., pude perceber que esse resultado exigiu esforço coordenado entre a sociedade e o Estado, com planejamento e investimentos, no decorrer das últimas décadas. Na escola pública de Ensino Médio que conheci, para além de uma infraestrutura impecável, com itens comuns às escolas particulares no Brasil, observei que também há uma sala de inclusão e psicóloga escolar.

E vai além disso. No plano pedagógico, a escola entrega à família do aluno um plano anual de estudos em conjunto com o calendário escolar, além dos documentos convencionais, como as normas da instituição. Isso é muito importante porque gera ainda mais engajamento da família com a educação dos filhos. Constatar in loco toda esta organização e ver, na prática, uma educação que é referência mundial em qualidade é inspirador para todo educador.

Há pouco mais de meio século, a Coreia era um país arrasado pelas guerras. Durante a ocupação japonesa, foram proibidos o idioma e a escrita coreana, destruídos patrimônios históricos e houve até o sequestro de mulheres jovens para serem damas de consolo de militares japoneses. A península coreana foi liberta somente após a derrota do Japão na segunda Guerra Mundial. No entanto, dividiu-se seu território a partir do paralelo 38: a parte Norte ficou com a União Soviética, comunista; o Sul, sob a tutela dos Estados Unidos, capitalista. No entanto, quando o Norte atacou o Sul com a intenção de anexá-lo ao seu território, além das milhares de mortes provocadas pelos combates, o país ficou arrasado. Do total de suas escolas, menos de 30% ficaram de pé. Nessa mesma proporção, perderam-se os livros, o parque gráfico e outras estruturas. Somente a partir de 1953, com o fim da guerra, o país iniciou sua jornada que iria conduzi-lo para os patamares em que se encontra atualmente.

No museu de história moderna e contemporânea da Coreia do Sul, descobrimos que, mesmo antes do final da década de 1950, os coreanos já haviam matriculado mais de 95% das crianças na escola. Os professores lecionavam para centenas de crianças de uma só vez, às vezes embaixo de uma árvore ou em outros espaços improvisados.

Daquele período até hoje, a Educação seguiu com planejamento, responsabilidade e com foco no futuro. Um projeto de país estruturado por um modelo de Educação em constante mudança. A mais recente é que até 2023 o governo coreano pretende atrair 200.000 estudantes estrangeiros para ocupar as vagas que estão ficando ociosas no Ensino Superior devido às mudanças demográficas pelas quais o país está passando. A Coreia do Sul nos ensina que esforço, conhecimento, planejamento e paixão operam o verdadeiro milagre da educação.

*Wilson Galvão é coordenador da área de Geografia, Tempo Integral e Livros Escolares do Sistema Positivo de Ensino.

 

Eu sei que eu sou um cara diferente de alguns políticos que temos no Brasil. Eu sou um cara pobre, miserável. Se bem que eu sou mais rico que 98% da população. Eu sei disso, mas perto desses caras eu sou pobre e parece que meu cheiro não faz bem para eles. Minha plumagem é diferente da deles.

Jair Bolsonaro – Presidente da República

Deixe seu comentário:

Notícias relacionadas

Opinião 03/04/2020

Reconfortante As ações do governo Suman frente a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus (covid-19) vem dando exemplo de responsabilidade e apreço à vida. Nos últimos 30 dias a cidade teve duas emergências que culminaram em dois decretos de calamidade: um pelas chuvas, outro pela pandemia. Se na primeira emergência o governo precisou lidar Leia mais

Opinião Nos vemos na internet

Nos vemos na internet Informamos aos nossos leitores e parceiros comerciais que, em consequência da pandemia covid-19, iremos suspender, temporariamente, a impressão e distribuição física da nossa edição semanal do jornal A Estância de Guarujá. Isso NÃO significa que o jornal A Estância encerrou suas atividades. Muito pelo contrário. Continuamos firmes e atuantes nas redes Leia mais

Opinião – Deflagrada a terceira Guerra Mundial?

Deflagrada a terceira Guerra Mundial? A peste, chamada em nossa era de Covid-19, está em guerra contra os seres humanos e tem fome de quem não leva a sério as recomendações de prevenção, levando à morte os entes queridos de quem deixa a porta aberta a um ataque aos mais vulneráveis. Apesar da semelhança, não Leia mais

Opinião As muitas prioridades de uma cidade

As muitas prioridades de uma cidade A polêmica da semana sobre uma possível atuação do Exército Brasileiro nos dois primeiros dias da tragédia em dois morros de Guarujá, causada pelas chuvas intensas da semana passada, tem sido bastante explorada pelos diversos grupos políticos da cidade. Para alguns, seria possível salvar mais pessoas se a atuação Leia mais