Opinião Nos vemos na internet

Nos vemos na internet

Informamos aos nossos leitores e parceiros comerciais que, em consequência da pandemia covid-19, iremos suspender, temporariamente, a impressão e distribuição física da nossa edição semanal do jornal A Estância de Guarujá.
Isso NÃO significa que o jornal A Estância encerrou suas atividades. Muito pelo contrário. Continuamos firmes e atuantes nas redes sociais e no nosso site, com postagens atualizadas diariamente, destacando o que é notícia em nossa cidade e no mundo, sempre com conteúdo jornalístico de qualidade, informações de fontes oficiais e opiniões com credibilidade.
Para os nossos leitores mais tradicionais, destacamos que a versão digital em formato PDF continuará a ser postada semanalmente no site, sempre às sextas-feiras pela manhã.
Certos de que essa crise passará, seguimos trabalhando com esperanças em uma breve retomada da normalidade e confiantes de que nossa sociedade conseguirá enfrentar essa crise com a esperança que lhe é característica, e sair transformada na melhor versão que poderíamos desejar para construir o futuro que queremos para as novas gerações.
Continue contando conosco nessa caminhada. Nos vemos na internet: www.estanciadeguaruja.com.br e www.facebook.com/estanciadeguaruja.

Vacinação
Com mais de 30 mil vacinas recebidas até o momento, sendo 11 mil apenas na quinta-feira (26), Guarujá aplicou 19.521 doses desde o último dia 23. O público alvo da primeira etapa da campanha são pessoas com idade acima de 60 anos e profissionais da Saúde.

Sem definição
A última remessa recebida pelo Município não é suficiente para atender a população nos próximos dias. A previsão é de que um novo lote seja encaminhado pela Secretaria Estadual de Saúde na próxima segunda-feira (30). Porém, não há definição de quantas doses da vacina serão disponibilizadas para Guarujá nessa remessa.

Continua
Até o final da campanha de vacinação, a expectativa é de que 103.605 pessoas sejam imunizadas. Ao todo, até agora, 61% da população idosa estimada já foi vacinada, além de 26% dos profissionais de Saúde. A campanha de vacinação contra a gripe (Influenza vírus H1N1, A e B) ocorrerá em três etapas de acordo com a faixa etária, sendo a segunda etapa no dia 16 de abril e o Dia ‘D’ da campanha, no dia 9 de maio.

Doações
A campanha “O Hospital Santo Amaro precisa de você!”, foi laçada nesta semana com o objetivo de arrecadar recursos para compra de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e equipamentos médico-hospitalares para ajudar no combate ao Covid-19.

Doações II
Para contribuir e fortalecer a corrente de solidariedade em prol dos pacientes e dos profissionais que atuam na linha de frente no combate ao covid-19, basta ligar na central de Teledoações: 13-3389-1511/1509.

Doações III
A Secretaria Municipal de Saúde também está apelando à rede solidária. A Sesau informa que está aceitando doações de máscaras cirúrgicas, máscaras N-95 e luvas descartáveis. O pedido é direcionado aos profissionais da saúde, que atuam na rede particular (dentistas, médicos, centros de estéticas e esteticistas em geral) e que possuem estoque acima do normal desses materiais. A Sesau também tem a disponibilidade de comprar esses itens.

Doações IV
Os materiais podem ser entregues na Diretoria de Vigilância em Saúde, na Avenida Leomil, 518, 1º andar – Centro. Todas as doações serão utilizadas por funcionários da Secretaria da Sesau, que estão na linha de frente do combate ao Covid-19, atendendo pacientes com sintomatologia respiratória.

Sem calote
A prefeitura de Guarujá também informa que realizará o pagamento das premiações dos concursos culturais realizados no ano de 2019, nas próximas semanas. “Houve atraso devido à exigência da Lei Federal nº 4320/64, que requer ajustar a data do empenho com a efetiva liquidação dos serviços executados, considerando ainda o encerramento do exercício orçamentário do ano de 2019 e a abertura da peça orçamentária do ano vigente”.

Sem calote II
A Secretaria de Cultura de Guarujá informa que trabalha para cumprir todas as obrigações fiscais referentes ao caso, e realizar o pagamento o mais rápido possível, mesmo com as dificuldades enfrentadas pelo Município durante o último mês, em que deslizamentos de terra e o combate ao novo coronavírus (Covid-19) deixaram a Cidade em estado de calamidade pública, causando reajustes no calendário previsto para o ano.

O setor turístico apela: não cancele, remarque!

Em tempos incertos de trágico afastamento social e isolamento domiciliar, um dos setores econômicos que mais sofre com as medidas de prevenção e contenção do Covid-19 é o Turismo. Estamos falando de um setor responsável por cerca de 10% do Produto Interno Bruto Mundial e que de forma imediata praticamente parou. O setor passou a assumir diretamente as consequências do fechamento dos aeroportos e das fronteiras mundo afora. Sofre com a abrupta interrupção do seu fluxo normal, com o congelamento das vendas e com o enfrentamento dos cancelamentos generalizados em toda a sua cadeia produtiva.
Ainda é incipiente pensar em alternativas que solucionem os problemas do setor, no entanto, destaca-se em meio a tantos desafios o surgimento de um movimento de conscientização direcionada aos consumidores. Em todo o mundo existem campanhas de informação sobre a crise enfrentada pela propagação da pandemia no Turismo desde o inicio de 2020, quando surgiram os primeiros casos da doença. A Organização Mundial do Turismo (OMT) agência vinculada a Organização das Nações Unidas para o Turismo, tem disseminado campanhas de conscientização na cadeia turística em larga escala. No Brasil, iniciativas semelhantes surgiram com a Associação Brasileira das Agencias de Viagens e tem se propagado a todos os envolvidos no turismo. A proposta caminha em consonância com a OMT que tem a intenção de levar ao conhecimento do público as consequências negativas do cancelamento das viagens e a orientação de promover a remarcação dos serviços já adquiridos.
A ideia central é informar amplamente o consumidor sobre a importância das viagens já compradas ou planejadas para que o setor consiga superar a crise. Neste sentido, qualquer cancelamento dos serviços turísticos já adquiridos gera sérias consequências para toda a cadeia produtiva comprometendo diretamente o futuro do setor. Com esta ação, os empresários esperam sensibilizar o viajante sobre o momento crítico que o setor enfrenta e o cenário de desafios que deverá ser encarado em breve.
Mais uma vez a informação se configura como uma aliada fundamental para o enfrentamento do momento. A informação sobre a REMARCAÇÃO das viagens em detrimento ao cancelamento é um apelo a sensibilização dos turistas em ampla escala. Neste sentido, ações imediatas já foram tomadas pelas companhias aéreas com a isenção de custos para remarcação das passagens nacionais ou internacionais, outros setores trabalham na mesma orientação. Os ajustes de datas e a dilatação dos prazos de remarcação para até um ano são providenciais para que as pessoas aguardem a passagem do estado de emergência e sigam se protegendo adequadamente neste período.
Frente a tantas adversidades ainda é complicado vislumbrar ações positivas, mas elas surgem em todo o mundo. Em um momento como este, se observa como máxima a participação coletiva e o espírito solidário inerentes do ser humano e que por inúmeras razões foram sendo desprezadas ano após ano, geração após geração. Enquanto acompanhamos os esforços dos organismos sanitários e de saúde para contenção dos casos da doença, o espírito de fortalecimento comunitário tem demonstrado que a base da informação e da empatia pode gerar uma comunicação mais assertiva e solidária.
A comunidade do setor segue encorajando os empresários a enfrentar as dificuldades e buscar soluções conjuntamente. Que tenhamos serenidade para enfrentar juntos o desafio da saúde e da sobrevivência e que estejamos fortalecidos e engajados para agir na reciprocidade e no respeito amplo aos recursos do planeta e com o outro.

Grazielle Ueno Maccoppi
Coordenadora dos cursos de Gestão de Turismo e Gestão Empreendedora de Serviços da Uninter

 

Sejam solidários. Podemos acertar ou errar, nós só não podemos minimizar problemas. O Governo de São Paulo fundamenta todas as suas ações em informações científicas no plano da saúde e técnicas no âmbito da economia.
João Doria Jr – Governador do Estado de São Paulo

Deixe seu comentário:

Notícias relacionadas

Opinião 03/04/2020

Reconfortante As ações do governo Suman frente a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus (covid-19) vem dando exemplo de responsabilidade e apreço à vida. Nos últimos 30 dias a cidade teve duas emergências que culminaram em dois decretos de calamidade: um pelas chuvas, outro pela pandemia. Se na primeira emergência o governo precisou lidar Leia mais

Opinião – Deflagrada a terceira Guerra Mundial?

Deflagrada a terceira Guerra Mundial? A peste, chamada em nossa era de Covid-19, está em guerra contra os seres humanos e tem fome de quem não leva a sério as recomendações de prevenção, levando à morte os entes queridos de quem deixa a porta aberta a um ataque aos mais vulneráveis. Apesar da semelhança, não Leia mais

Opinião As muitas prioridades de uma cidade

As muitas prioridades de uma cidade A polêmica da semana sobre uma possível atuação do Exército Brasileiro nos dois primeiros dias da tragédia em dois morros de Guarujá, causada pelas chuvas intensas da semana passada, tem sido bastante explorada pelos diversos grupos políticos da cidade. Para alguns, seria possível salvar mais pessoas se a atuação Leia mais

Opinião – Edição 5424

Mais uma tragédia anunciada Uma lição que custa a ser aprendida pelas autoridades, ainda que seja conhecida por todos os governantes em todas as esferas de poder público. Habitações em áreas de risco não podem ser toleradas, mas elas ainda proliferam. E em muitos casos, contam com o olhar míope dos governos para se alastrar. Leia mais