Santo Amaro que nos livre e guarde

Guarujá comemora mais um dia do Padroeiro, Santo Amaro. No entanto, esse ano de 2020 é ano eleitoral e a cidade vai precisar de uma mãozinha extra do santo. Saúde Pública, saneamento e educação são os temas preferidos por políticos em anos de eleição.
E é um festival de soluções mirabolantes de candidatos oposicionistas, oportunistas e também dos bem intencionados, que não têm noção do sistema ao qual deverão se submeter para conquistar migalhas em seus mandatos.
Até o cidadão alheio à política pode perceber, nesses discursos, que nada está tão ruim que não possa piorar. Mas eles, candidatos, têm uma solução que, via de regra, é mais barata, eficaz e transparente do que o que já fez ou que será feito pelo atual grupo político no poder.
Em tempos de redes sociais e fake news, ‘quanto mais desgraça, melhor.’ E nossa sociedade atual anda tão descontente com a classe política que absorve apenas o que é negativo e desnecessário no importante debate político que deveria ser destacado nesse período pré-eleitoral.
No entanto, entre problemas crônicos que exigem solução em estados e municípios, os bons atos, que geram avanços e desenvolvimento, precisam ser destacados, pois é preciso acreditar que é possível melhorar, para que boas ideias sejam desenvolvidas e executadas.
O contrário já é conhecido também: políticos paraquedistas alardeando pelas redes sociais que tudo na cidade é ruim e nada presta.
Em Guarujá, os anos eleitorais tendem a ser um show de horrores com uma plateia que não pensa em contribuir, mas apenas consumir o que a cidade tem a oferecer, sem produzir nada em troca. A estratégia precisa mudar.
Que Santo Amaro, padroeiro de Guarujá, afaste essa negatividade de seus cidadãos neste ano de 2020. Parabéns cidadãos!

Tucanando
O deputado Alexandre Frota (PSDB) conseguiu destaque na cidade na semana que passou. Recém emplumado no partido, o deputado bom de bico teceu críticas negativas à administração do prefeito Válter Suman (PSB), após saber que o presidente de sua sigla na cidade havia sido nomeado como secretário interino do governo municipal. Frota tanto fez que conseguiu derrubar o presidente do partido em Guarujá e alardeou que o partido terá candidato nas próximas eleições. Alguém precisa avisar o deputado lacrador que oposição forçada em ano de eleição não costuma ter impacto na cidade e que a relação PSB e PSDB na cidade sempre foi amistosa nos últimos anos. Afinal, os dois vereadores peessedebistas nunca bateram de frente com o governo. A relação sempre foi de cobrança com respeito e de colaboração.

Presidente
O presidente Jair Bolsonaro visita, na tarde desta sexta-feira (10/01), a Ponte dos Barreiros, em São Vicente. O Governo Federal liberou R$ 58 milhões para a execução da reforma da construção, que faz a ligação entre as áreas continental e insular da cidade.

Em Guarujá
Bolsonaro chegou em Guarujá na quinta-feira (09) para alguns dias de descanso e foi recepcionado pelo deputado estadual Tenente Coimbra. O investimento só foi possível após trabalho conjunto de deputados da região.

19 milhões
Entre eles a deputada federal Rosana Valle e os deputados estaduais Tenente Coimbra, Kenny Mendes, Paulo Corrêa Jr., Wellington Moura e Caio França, que, além da ajuda federal, conseguiram atuar junto ao governo estadual para liberar mais R$ 19 milhões destinados à obra (sendo 15 milhões em emendas a Lei Orçamentária Anual e 4 milhões em emendas parlamentares, além de mais 4 milhões que vieram do governo de São Paulo).

Comoção
Ao saber da notícia do esforço parlamentar em prol da ponte, populares planejam uma mobilização para pedir o mesmo empenho na execução da ligação seca para beneficiar a circulação de pessoas e veículos de passeio e não apenas caminhões para o porto, por exemplo.

Feira de Verão
Acontece neste final de semana, a 1ª Feira de Verão no CRPI em Guarujá. O evento ocorre no sábado e domingo, das 13h às 21h, na sede da instituição (Estrada Alexandre Migues Rodrigues, 845, Praia do Tombo). Haverá expositores de roupas e calçados adultos e infantil, acessórios, peças de costura criativa, cosméticos, decorações para festas e artigos para casa. Além disso, uma variedade de opções gastronômicas.

Professor
Prefeitura de Guarujá está com inscrições abertas até próximo dia 20, para o processo seletivo para a contratação temporária de professores de Educação Básica III (PEB III) e de Educação Profissional. As inscrições começaram no último dia 2. No total serão disponibilizadas 24 vagas e outras 2.276 por meio de cadastro reserva.

Professores II
Interessados devem se inscrever por meio do site da Prefeitura: www.guaruja.sp.gov.br, no edital 001/2019 – Sedel ou ainda da Caipimes, no www.caipimes.com.br. No ato é necessário preencher a ficha de inscrição e emitir boleto bancário para pagamento até o dia 21 deste mês. A taxa de inscrição é de R$ 65,00.

Disciplinas
Serão contratados profissionais com idade mínima de 18 anos, nas disciplinas de Ciências, Educação Artística, Educação Física, Geografia, Histórica, Língua Inglesa, Língua Portuguesa, Matemática, Mecânica, Contabilidade e Química.

Democracia só se faz com liberdades profissionais

Se o Brasil vive em um Estado Democrático de Direito, como se costuma dizer, além de manter ativo seu sistema de leis resguardado pela Constituição Federal, é preciso que as autoridades cumpram na prática o que está na legislação, sempre em favor do interesse público e do bem-estar social.
Acontece que vivemos sob o risco de nos tornarmos um Estado Democrático meramente de aparência, já que valiosas conquistas sociais estão sendo ignoradas ou acessadas apenas de forma parcial, exsurgindo ações deletérias de distinção, não raramente, balizadas apenas em cor, gênero, religião, nível social, interesse econômico e ideologia política.
Episódios recentes revelam a gravidade dessas violações: um pacote de reformas penais tentou, recentemente, institucionalizar a gravação de conversas entre Advogados e clientes. A prática, ilegal, é cada vez mais comum em nosso país.
O fim do sigilo da relação profissional entre Advogados e clientes elimina um direito constitucional que é a defesa de todo e qualquer cidadão. Sem ele, a população se torna ainda mais vulnerável, a Democracia se enfraquece e o interesse público deixa de ser a busca prioritária dos nossos governantes.
Na ânsia de julgar antecipadamente, de manipular as responsabilidades e de agir conforme seus interesses, inúmeras esferas do Poder Público atentam contra a Democracia impedindo, especialmente Advogados e Jornalistas, de atuarem com liberdade. Também não são poucos os casos de Jornalistas que acumulam ações penais, civis e administrativas por não divulgar suas fontes, especialmente quando as informações coletadas dizem respeito a grupos influentes ou esferas do poder. A quebra de sigilo da fonte é uma afronta ao direito profissional que está garantido pelo artigo 5º da Constituição Federal em proteção do cidadão.
O resguardo da fonte não é uma invenção brasileira. Tratados internacionais, dos quais o Brasil é signatário, como a Declaração de Princípios sobre a Liberdade de Expressão da Organização dos Estados Americanos, reafirmam essa premissa. Não há garantia de informação verdadeira e de credibilidade se não houver respeito integral ao sigilo da fonte.
Chegamos a um ponto crucial da nossa história que demanda resposta firme a uma indagação: queremos uma Democracia de faz de conta ou queremos uma Democracia Constitucional verdadeira que, ao mesmo passo que respeite e legitime a vontade popular da maioria episódica em determinado momento social, não se descure das conquistas civilizatórias da humanidade?
É evidente que todos aqueles que estão de boa-fé e cônscios dos seus compromissos sociais e públicos devem dar resposta positiva à segunda parte da indagação acima; afinal de contas, já assistimos a inúmeros exemplos da bancarrota de muitas Nações que se afundaram em retrocessos ao pretenderem seguir o caminho sem volta da Democracia que despreza as conquistas civilizatórias da humanidade, e pretende se sustentar apenas e tão somente na vontade popular episódica da maioria.
É exatamente nesta esteira que se encontram as premissas dos sigilos da fonte para o Jornalista e da relação entre Advogado e cliente para a Advocacia, por evidentemente constituírem eles, os sigilos, conquistas civilizatórias da humanidade que põem freios aos arroubos das vaidades dos comandantes de plantão que pretendem impor a todos nós a sua régua de conduta, pouco importando as vontades do cidadão que encontrem respaldo na vigente ordem constitucional.
O sigilo da fonte permite ao Jornalista ter acesso a informações que jamais seriam apresentadas se não fosse o dever ético-profissional dele de preservar a fonte, justamente porque o exercício do poder sobre as pessoas implica no ocultamento das informações das quais tem conhecimento determinada pessoa pelo óbvio medo da represália que a força imediata do comandante de plantão tem sobre os cidadãos. Serve ele, o sigilo da fonte, ao asseguramento da garantia do direito que todo cidadão tem de fazer o juízo de valor que bem entender sobre os fatos verdadeiros que venham a ser apresentados pelos Jornalistas, permitindo até mesmo que cada um de nós faça o seu juízo moral sem qualquer manipulação.
Já o sigilo da relação profissional entre Advogado e cliente tem como objetivo impedir que o ato de força comum a quem tem poder – seja ele de qualquer espécie: de mando, econômico etc. – anule o direito de defesa que é premissa básica da construção de uma Democracia, notadamente a Democracia Constitucional. Defender não pode ser um faz de conta a permitir que a verdade seja aquela pretendida por quem tem poder. A verdade há de ser buscada pela senda da razão e não por meio da construção de regras que coloquem a todos sob suspeita. O verdadeiro exercício do direito de defesa, sem combinações prévias pelos atores responsáveis pela punição daqueles que se desviam dos caminhos da lei e da ordem constitucional vigente, é que proporciona a realização do juízo livre e consciente de legalidade pelas autoridades sem comprometimento indevido com as vontades dos que tem poder.
Com a devida vênia, a bem da sobrevivência da segurança jurídica e da Democracia Constitucional, não há argumentos que justifiquem a violação dos sigilos em estudo. A coação se dá pelo poder e pela força política, na maioria das vezes. É preciso entender que atacar a liberdade profissional, uma prática cada vez mais comum no nosso país, é o mesmo que atacar a Democracia Constitucional brasileira.
Sob argumentos falsos, autoridades acusam Jornalistas e Advogados de gozar de privilégios e de agir em benefício próprio. Ora, a Justiça tem instrumentos jurídicos suficientes para punir o Jornalista que divulgar notícia falsa. Da mesma forma, pode condenar o Advogado que burlar prerrogativas legais para beneficiar a si mesmo ou ao seu cliente.
As últimas décadas da história mostram que Democracia forte só se constrói com Imprensa Livre e Advogados atuantes. Em outras palavras, não é possível resguardar os direitos de cidadania sem assegurar-se a liberdade profissional aos Jornalistas e à Advocacia.
É chegada a hora de Advogados e Jornalistas ficarem absolutamente atentos. É preciso ter a consciência de que somos um termômetro direto do Estado Democrático de Direito e que juntos temos a obrigação e o dever de proteger o cidadão das vontades autoritárias de quem quer que seja.
Unidos pelos preceitos democráticos e conectados pelo bem-estar coletivo e, bem assim, com coragem para expor notícias e verdades, juntos certamente faremos com que o cidadão seja respeitado como a maior autoridade de todas em um Estado Democrático de Direito.
A boa notícia é que existem inúmeros mecanismos para refazer os caminhos e recuperar conquistas constitucionais que vêm sendo ignoradas. Afinal, o que está em jogo, em última instância, é o direito de defesa do cidadão e o livre acesso aos dados de interesse público, conquistas civilizatórias da humanidade que dizem respeito a toda a sociedade.

Caio Augusto Silva dos Santos – Presidente da OAB SP


 

Deixe seu comentário:

Notícias relacionadas

Opinião Nos vemos na internet

Nos vemos na internet Informamos aos nossos leitores e parceiros comerciais que, em consequência da pandemia covid-19, iremos suspender, temporariamente, a impressão e distribuição física da nossa edição semanal do jornal A Estância de Guarujá. Isso NÃO significa que o jornal A Estância encerrou suas atividades. Muito pelo contrário. Continuamos firmes e atuantes nas redes Leia mais

Opinião – Deflagrada a terceira Guerra Mundial?

Deflagrada a terceira Guerra Mundial? A peste, chamada em nossa era de Covid-19, está em guerra contra os seres humanos e tem fome de quem não leva a sério as recomendações de prevenção, levando à morte os entes queridos de quem deixa a porta aberta a um ataque aos mais vulneráveis. Apesar da semelhança, não Leia mais

Opinião As muitas prioridades de uma cidade

As muitas prioridades de uma cidade A polêmica da semana sobre uma possível atuação do Exército Brasileiro nos dois primeiros dias da tragédia em dois morros de Guarujá, causada pelas chuvas intensas da semana passada, tem sido bastante explorada pelos diversos grupos políticos da cidade. Para alguns, seria possível salvar mais pessoas se a atuação Leia mais

Opinião – Edição 5424

Mais uma tragédia anunciada Uma lição que custa a ser aprendida pelas autoridades, ainda que seja conhecida por todos os governantes em todas as esferas de poder público. Habitações em áreas de risco não podem ser toleradas, mas elas ainda proliferam. E em muitos casos, contam com o olhar míope dos governos para se alastrar. Leia mais