Connect with us

Entre Sons e Tons

Rip Curl WSL Finals começa na Califórnia com novo formato

Publicado

em

Banner Entre Sons e Tons

 

A temporada 2021 do surfe chegou no seu auge! Caso as condições climáticas permitam, começa nesta sexta-feira (10) o Rip Curl WSL Finals (Liga Mundial de Surfe), com a grande decisão do Mundial da modalidade, a partir das 12h (horário de Brasília).

A janela de competições, que segue até o dia 17, será disputada em San Clemente, na Califórnia (EUA), e gerou opiniões divididas e confusões para quem não acompanha tão de perto o surfe, ou começou a acompanhar recentemente.

– Leia também: Guarujaenses brilham em competições esportivas, inclusive no ballet

Pela primeira vez, em 45 anos de história, a disputa final da WSL acontece em uma única etapa especial, na qual os títulos serão disputados entre os TOP 5 nas categorias, em um sistema de baterias mata-mata, no melhor dia do mar, nas ondas de alta performance da praia de Lower Trestles.

Depois das disputas das 7 etapas de um calendário afetado pela pandemia mundial da COVID-19, nesta coluna a gente te explica como funcionará esse novo formato do campeonato, que vai consagrar o grande campeão.

Brasil chega forte na competição com
favoritos ao título do surfe mundial

A decisão conta com 3 brasileiros no masculino: Gabriel Medina, Ítalo Ferreira e Filipe Toledo. A brasileira Tatiana Weston-Webb está na disputa do feminino, como vice líder entre as mulheres.

“Ganhar o terceiro título mundial é o meu maior objetivo”, declarou Gabriel Medina, campeão nas temporadas de 2014 e 2018, em entrevista realizada antes do início da competição. “A emoção de conquistar o título é incrível. Todos os surfistas que eu mais admiro ganharam três títulos, então realmente quero fazer parte desse grupo. Sei que vai ser difícil, mas tenho treinado bastante, surfado todos os dias e me preparado muito forte para que isso aconteça aqui”, completou.

Outro brasileiro que chega muito motivado para a disputa é o potiguar Ítalo Ferreira, que brilhou este ano na Olimpíada de Tóquio ao conquistar o primeiro ouro do surfe na história da modalidade. “Esse tem sido um ano muito especial para mim”, declarou Ítalo nas redes sociais.

Nova forma de disputa será realizada
pela primeira vez na história do surfe

O WSL Finals inaugurará um sistema mata-mata para definir os campeões mundiais de 2021. Os líderes dos rankings terão a maior chance e decidirão os títulos em uma melhor de três baterias.

Entre sons e tons

Gabriel Medina, Ítalo Ferreira, Filipe Toledo, Conner Coffin (EUA) e Morgan Cibilic (AUS)

Filipe Toledo será o primeiro brasileiro a competir no Rip Curl WSL Finals e seu adversário sairá do confronto entre o quarto e quinto colocados, respectivamente, o norte-americano Conner Coffin e o australiano Morgan Cibilic.

Quem passar da bateria de Filipe enfrenta o atual vice-líder do ranking, Ítalo Ferreira, com o vencedor avançando, para decidir o título mundial de 2021, em uma melhor de três com o bicampeão Gabriel Medina.

Entre sons e tons

Tatiana Weston-Webb (BRA), Carissa Moore (HAV), Stephanie Gilmore (AUS), Sally Fitzgibbons (AUS) e Johanne Defay (FRA)

Na categoria feminina, a batalha começa com a heptacampeã mundial Stephanie Gilmore contra a francesa Johanne Defay. Quem passar enfrenta a outra concorrente da Austrália no WSL Finals, Sally Fitzgibbons.

Esta disputa define a adversária da brasileira Tatiana Weston-Webb no confronto que vai apontar a finalista na decisão do título com a havaiana Carissa Moore, também em uma melhor de três baterias.

COMO VAI ACONTECER O MATA-MATA?

CONFIRA ABAIXO:

Na janela entre 9 e 17 de setembro, os surfistas e as surfistas se enfrentarão em um mata-mata simples. As mulheres serão as primeiras a entrar na água, e os homens surfam logo após, na próxima partida. Mulheres e homens vão se alternar pelo resto do dia.

– No primeiro duelo, o 5º do ranking enfrentará o 4º. O vencedor deste duelo parte para um encontro com o 3º colocado.

– O ganhador desta nova disputa enfrenta o 2º colocado em um confronto que vale a vaga para disputar com o líder do ranking a chance de ser consagrado campeão mundial.

– Para dar uma “vantagem” para quem liderou o ranking durante todo ano, a final terá um formato diferente das outras disputas. A grande decisão será uma melhor de 3 baterias e quem vencer duas baterias primeiro se sagra o campeão ou a campeã.

O plano da WSL é realizar todas as disputas em um único dia. Com isso, chamadas serão feitas sempre às 11h30 (horário de Brasília) para saber se haverá a realização do evento.

De acordo com as previsões climáticas, o mais provável é que ele aconteça entre segunda (13) e quarta-feira (15), as datas limite da janela da WSL Finals.

Dia do Nordestino