Connect with us

Guarujá em Foco

“Ruas da Saudade”: Colégio inicia projeto ambiental

Publicado

em

Antes que qualquer árvore seja plantada ou qualquer lago seja construído,
é preciso que as árvores e os lagos tenham nascido dentro da alma.
Quem não tem jardim por dentro,
não planta jardins por fora e nem passeia por eles.
Rubem Alves

Concordando com esta bela frase do educador Rubem Alves e acreditando, há mais de 50 anos, que a escola é o lugar privilegiado para que a criança adquira as ferramentas pedagógicas necessárias para seu pleno desenvolvimento humano, o Colégio Domingos de Moraes iniciou na última semana (20/09) o projeto “Ruas da Saudade”, que faz parte do Plano Escolar de Educação Ambiental.

 — Leia também: Tempestade de areia atinge cidades do interior de SP

A ação da seguimento a mais uma etapa do Projeto Político Pedagógico da instituição, mesmo num ano em que a realidade imposta pela pandemia do Covid19 exigiu dos gestores, professores, funcionários e alunos muito compromisso e superação.

Durante os próximos meses do ano de 2021 uma muda de árvore será exposta no pátio da escola para ser objeto de estudo interdisciplinar e que os alunos possam identificar e desenvolver a percepção das questões ambientais em diferentes escalas geográficas.

A primeira árvore foi plantada na sexta-feira(24) pelos alunos do 5º ano. Além disso, os alunos serão instigados a pensar sobre os sérios desafios que a sociedade tem de enfrentar em escala mundial para evitar mais danos causados pelo aquecimento global.

Assim, destacando o ambiente escolar e as comunidades onde moram, poderão compreender como o ensino-aprendizagem aliado à educação ambiental são importantes na construção de valores, atitudes e no despertar da consciência para a crise climática.

Árvores, Bem-estar & Saúde – Segundo o arquiteto e urbanista, professor e diretor do Colégio Domingos de Moraes, João Eduardo, as árvores são o maior patrimônio ambiental de uma cidade.

“São elas que abrigam pássaros que espalham as sementes e comem insetos, inclusive os mosquitos que podem transmitir doenças como a dengue e chicungunya. As árvores também fornecem sombras e assim, diminuem a temperatura das cidades permitindo aos moradores um bom passeio em ambiente agradável em calçadas, praças e parques.”

Outro benefício destacado pelo professor João Eduardo é que uma árvore em casa protege a pintura da luz forte do sol e daí não exige dos proprietários pinturas frequentes e ao soltar folhas no quintal ou na calçada. “A árvore colabora com diminuição de índices de sedentarismo, já que o morador precisa se movimentar para recolher o material. Como podemos ver, plantar árvores faz bem para alma e para o corpo também.”