Connect with us

Brasil/Mundo

SP encerra julho com queda de 49% dos óbitos por COVID-19

Publicado

em

Quedas nas médias diárias de novas infecções confirmadas e mortes são reflexos de prevenção e vacinação; balanços são os menores desde março

O Estado de São Paulo termina o mês de julho com uma redução de 49% na média diária de novos óbitos e de 22% de novos casos de COVID-19 em comparação às médias de abril, marcado por balanços recordes da segunda onda da pandemia. As reduções são resultado da campanha de vacinação e das medidas de prevenção contra a doença.

Leia tambémGuarujá vacina jovens de 20 anos a partir desta quarta-feira (4)

Os balanços deste mês foram os menores registrados desde março de 2021. Do dia 1º ao dia 31, foram 348.862 novos casos, o que equivale a uma média de 11.253 por dia. Houve 11.315 novas mortes, ou 365 diariamente. Em todo o mês de abril, as médias diárias foram de 14.462 óbitos e 718 mortes.

O declínio também é verificado nas hospitalizações. Neste sábado (31), há 10.607 hospitalizados, sendo 5.219 em enfermaria e 5.451 em leitos de Terapia Intensiva. No pico da segunda onda, o número chegou a ser o triplo, com mais de 31 mil pacientes internados.

No decorrer da pandemia, mais de 3.722.508 pessoas tiveram a doença e já estão recuperadas, sendo que 426.074 foram internadas e receberam alta hospitalar.

Desde o ano passado, o estado de São Paulo registrou 4.057.868 casos de COVID-19 e 138.996 óbitos. A taxa de ocupação dos leitos de UTI no estado hoje é de 50,5% e na Grande São Paulo é de 46,6%.

SP alcança 60% da população na vacinação contra COVID-19

O Estado de São Paulo já vacinou 60% da população com pelo menos uma dose na campanha de vacinação contra COVID-19. O número indica que, a cada cinco pessoas, três já receberam pelo menos uma dose do imunizante. É o que mostrou o Vacinômetro às 11h04 desta segunda-feira (02).

Entre este grupo, 22,6% já tem esquema vacinal completo, composto por duas doses no caso dos imunizantes do Butantan/Coronavac, Fiocruz/Astrazeneca/Oxford e da Pfizer, ou por dose única da Janssen.

O balanço aponta mais de 26,6 milhões aplicações de primeira dose, 9,3 milhões da segunda e mais de 1 milhão de dose única.

São Paulo é o Estado que mais vacina no Brasil, em números absolutos, e segue avançando com o calendário com celeridade à medida que as remessas são entregues pelo Ministério da Saúde, contando com uma logística ágil e organizada para distribuição às 645 cidades.

A evolução diária da campanha pode ser acompanhada no painel completo do Vacinômetro, neste site. Nele, qualquer pessoa tem acesso a dados detalhados sobre doses aplicadas por município, distribuição de doses, ranking de vacinação, ranking de aplicação das doses distribuídas, evolução da aplicação de doses e estatísticas gerais do PEI.