Jovem morre afogada após chamar amiga para tirar selfie em cachoeira

Uma jovem de 19 anos morreu afogada na Cachoeira da Capelinha, em Cajati, no interior de São Paulo. A garota já estava indo embora, quando se separou do grupo em que estava e voltou à cachoeira para fazer uma selfie com uma amiga. Elas foram surpreendidas pela correnteza e apenas a colega da vítima foi resgatada com vida.

Conforme informações da Fundação Florestal, Maria Fernanda Fagundes Sobrinho é de Curitiba, no Paraná, e estava com um grupo de 15 pessoas, entre amigos e familiares. Eles chegaram ao Parque Estadual do Rio Turvo (PERT) por volta das 10h de domingo (12) para visitar a cachoeira e foram recebidos por monitores, que passaram todas as orientações conforme protocolo das unidades. A operadora de telemarketing aproveitou parte do dia no local.

Por volta das 13h30, o grupo que estava com ela decidiu que iria embora e seguiu sentido trilha. A jovem e uma amiga de 17 anos resolveram voltar para tirar uma última foto. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), ambas ficaram na margem da cachoeira e, em um determinado momento, o volume da água aumentou rapidamente, e as duas afundaram.

O grupo notou que as duas estavam demorando e as pessoas decidiram retornar para saber o que havia ocorrido. Um deles viu a adolescente se afogando e a puxou para a superfície. Maria não foi localizada pelos amigos, que decidiram acionar o Corpo de Bombeiros.

O corpo da jovem foi localizado às 19h30. Ela foi encaminhada para o Instituto Médico Legal (IML) e o caso, registrado como óbito – morte natural, na Delegacia de Cajati, segue em investigação.

NOTA
A Fundação Florestal (FF) comunicou em nota, que lamenta a morte da jovem Maria Fernanda e afirma que, após o acidente, imediatamente, os funcionários do parque prestaram toda assistência ao grupo e acionaram o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar.

O local, segundo a Fundação, possui sinalizações e monitores que alertam sobre os cuidados a serem tomados durante o passeio, tais como riscos de afogamento, trombas d’água e não consumir bebida alcoólica nas dependências do parque. Não há registros anteriores de acidentes fatais nesta área.

A cachoeira possui entre quatro e seis metros de profundidade e fica há cerca de 200 metros da sede da unidade. A caminhada até a queda d’água é autoguiada. Neste período de verão, os alertas e orientações de segurança aos visitantes foram intensificados em todas as áreas geridas pela Fundação Florestal, além do reforço dos avisos nas mídias sociais. (Fonte: G1)

Deixe seu comentário:

Notícias relacionadas

Adolescente morre em confronto com a PM em Guarujá

Um adolescente de 17 anos morreu em um confronto com o 2º Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep), no Morro do Macaco, em Guarujá. Segundo informado pela PM, o rapaz portava uma pistola calibre 9mm, com capacidade para 17 disparos, além de um rádio comunicador. O caso ocorreu na madrugada de segunda-feira (27). Por Leia mais

Cão corre atrás de ambulância e fica esperando dono que morreu

Um cãozinho espera há três dias na frente de um Pronto Socorro em Santos pelo dono que faleceu. O caso chamou atenção de pacientes do hospital, que relataram que estão tentando encontrar um novo lar para o cachorro por meio de uma publicação nas redes sociais. A autônoma Vera Lúcia Oliveira de Souza, de 47 Leia mais

Vendedor é sequestrado enquanto assistia a futebol em Guarujá

Um morador de Guarujá foi sequestrado enquanto assistia a uma partida de futebol. Familiares do vendedor Cristian Domingos de Almeida, de 33 anos, explicam que ele foi levado por dois suspeitos armados em um carro e, desde então, não foi mais visto. O caso é investigado pela Polícia Civil do município. O crime aconteceu na Leia mais