Por 10 votos a 1, STF valida inquérito sobre fake news

Julgamento foi concluído após quatro sessões de debates.

De Agência Brasil – Brasília

Por 10 votos a 1, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu a favor da constitucionalidade do inquérito aberto pelo próprio tribunal para apurar a divulgação de fake news (notícias falsas) e ameaças contra integrantes da Corte. O julgamento foi concluído após quatro sessões de debates.

Com a decisão, as medidas de buscas e apreensões e quebras de sigilo realizadas contra empresários e acusados de financiar, difamar e ameaçar ministros pelas redes sociais também ficam validadas.

O Supremo julgou uma ação da Rede Sustentabilidade, protocolada no ano passado para contestar a forma de abertura da investigação, que não foi feita por iniciativa do Ministério Público ou pela polícia.

O inquérito foi aberto em março de 2019. Na época, o presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli, defendeu a medida como forma de combater a veiculação de notícias falsas que atingem a honorabilidade e a segurança do STF, de seus membros e parentes.

Segundo Toffoli, que nomeou o ministro Alexandre de Moraes como relator do caso, a decisão pela abertura está amparada no regimento interno da Corte.
Votos

Durante o julgamento, prevaleceu o voto do relator, Edson Fachin. Pelo entendimento, houve omissão dos órgãos de controle, como o Ministério Público e a Polícia Federal, que não tomaram a iniciativa de investigar os ataques contra a independência do Poder Judiciário e ameaças contra os magistrados nas redes sociais.

Dessa forma, segundo o ministro, o regimento interno poderia ser aplicado como instrumento de defesa institucional.

O voto de Fachin foi acompanhado pelos ministros Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, Celso de Mello e pelo presidente, Dias Toffoli.

“Juízo de Exceção”

O ministro Marco Aurélio foi o único a votar pela ilegalidade do inquérito. Para o ministro, a prerrogativa para a instauração de investigação no STF é da Procuradoria-Geral da República (PGR). Segundo Marco Aurélio, para garantir a imparcialidade, a Constituição garante que o mesmo órgão que acusa não pode julgar o caso.

“Não pode a vítima instaurar inquérito. Um vez sendo formalizado o requerimento de instauração de inquérito, cumpre observar o sistema democrático da distribuição, sob pena de passarmos a ter um juízo de exceção, em contrariedade ao previsto no principal rol das garantias constitucionais da Carta de 1988”. afirmou.

Deixe seu comentário:

Notícias relacionadas

Guarujá registra recorde de acessos em curso online gratuito do Sebrae

Capacitação teve início nesta segunda-feira (6) e segue até a próxima terça-feira (14), com a média de 70 participantes por aula; iniciativa visa preparar o segmento de quiosques e ambulantes, que atuam nas praias da Cidade, para a retomada das atividades A fim de preparar o segmento de quiosqueiros e ambulantes das praias de Guarujá Leia mais

BOLETIM CORONAVÍRUS – Guarujá – 09/07/2020

A Secretaria de Saúde (Sesau) informa nesta quinta-feira (9) que mais 116 munícipes venceram o novo coronavírus. Com isso, sobe para 3.442 o número de curados. Nas últimas 24 horas, 167 notificações de testes positivos para foram recebidas. O total de casos confirmados agora é de 4.572, dos quais 28 estão internados, 12 deles em Leia mais

Governo do Estado estende vacinação para todas as faixas etárias

A partir de 1º de julho, pessoas de qualquer idade podem ser imunizadas; doses estarão disponíveis até a data final da campanha ou enquanto houver estoque O Governo do Estado de São Paulo decidiu liberar a vacinação contra a gripe para pessoas de todas as faixas etárias a partir desta quinta-feira (1º). A medida foi Leia mais

Mundo deve chegar a 10 milhões de casos de covid-19 na próxima semana

Segundo a OMS, pandemia ainda não atingiu pico em muitos países De Agência Brasil O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, estimou nessa quarta-feira (24) que o número de casos do novo coronavírus no mundo, que atualmente está em torno de 9,3 milhões, chegará a 10 milhões na próxima semana. Em entrevista Leia mais